[email protected] uxxZud)RfL@T2!DAOQGuN)er
Categorias

Blog: O Futuro também é Gente

Quando falamos de futuro, muitas tendências tecnológicas são apontadas. Mas tem um assunto que nunca sairá de foco: pessoas.

Em um cenário onde a tecnologia domina as discussões sobre o amanhã, é essencial lembrar que, independentemente do avanço da transformação digital e da inteligência artificial, as pessoas continuam sendo o componente mais vital no mundo dos negócios.

Enquanto as inovações tecnológicas moldam e impulsionam as operações empresariais, é o talento humano que impulsiona a inovação, a criatividade e o progresso.

Este assunto tem tanta importância pra nós, da Algar, que inclusive foi tema da 39ª edição do PRODEX, encontro dos executivos do nosso Grupo. A seguir, listamos cinco tópicos pensando na centralidade das pessoas.



1 – O capital humano como diferencial competitivo

Se nos dias de hoje, a concorrência é feroz em quase todos os setores, a tendência é que no futuro essa competitividade aumente ainda mais. Nesse contexto, o capital humano se destaca como um diferencial competitivo fundamental.

Por isso, empresas devem compreender que investir em seus times não é apenas benéfico para o bem-estar individual de cada colaborador, mas também para o crescimento e a sustentabilidade do negócio como um todo.


2 – A liderança infinita para um futuro promissor

A liderança exerce um papel muito importante na criação de um futuro de sucesso. O líder é aquele que coordena o esforço coletivo em prol de um ideal que não é só dele. Por isso, a liderança deve estar muito bem alinhada ao propósito da empresa e também às mudanças do mercado.

Por exemplo, estamos vivenciando o fim da era das soft skills e hard skills e o surgimento de uma perspectiva que desafia essa distinção tradicional. Em vez de vê-las como entidades separadas e distintas, devemos reconhecer a interconexão e a interdependência dessas habilidades.

Tendo isso em vista, os líderes precisam gabaritar o mais alto nível da liderança. Neste contexto, o conceito de “liderança infinita” se mostra eficiente. Criado por Simon Sinek, em seu livro “The Infinite Game“, ele defende a necessidade de abraçar a mentalidade de um jogo “eterno”, onde não há um fim definido e os líderes estão mais preocupados em melhorar continuamente e perpetuar o negócio do que em superar adversários.

Para o Felipe Leal, líder da Startse e um dos palestrantes do 39º PRODEX, a liderança infinita é composta por cinco “as”. São eles: Audácia, Abertura, Admiração, Assertividade e Adaptabilidade.

Leia também: O que é uma liderança servidora e como aplicá-la?



3 – De olho nas habilidades humanas que estão em alta

Em um futuro dominado pela tecnologia, as habilidades humanas serão ainda mais valorizadas. As empresas buscarão profissionais com habilidades como:

  • Criatividade e Inovação: A capacidade de pensar fora da caixa e encontrar soluções inovadoras para problemas complexos será crucial para o sucesso.
  • Comunicação e Colaboração: A capacidade de se comunicar de forma eficaz e colaborar com colegas, clientes e parceiros será essencial para o trabalho em equipe.
  • Empatia e Inteligência Emocional: A capacidade de entender e se conectar com as pessoas, tanto dentro quanto fora da empresa, será fundamental para construir relacionamentos duradouros.
  • Pensamento Crítico e Resolução de Problemas: A capacidade de analisar dados, identificar problemas e encontrar soluções eficazes será cada vez mais importante.


4 – Responsabilidade Social, Corporativa e Ambiental é mais do que necessário

À medida que a sociedade evolui, as expectativas em relação às empresas também aumentam. Cada vez mais, as pessoas esperam que as empresas não apenas busquem o lucro, mas também atuem de forma responsável em relação às questões sociais, ambientais e de governança.

As empresas que consideram o ESG em suas atuações, valorizam as necessidades e preocupações tanto de seus clientes quanto dos seus times e também das comunidades em que estão inseridas.

Isso pode incluir: a promoção da diversidade e a inclusão, a redução das emissões de carbono, a gestão sustentável de recursos, o oferecimento de condições de trabalho seguras e saudáveis, o investimento em programas sociais e uma estrutura de governança sólida e ética.


5 – Desafiando o status quo

No 39º PRODEX, foi citada uma frase de Jiddu Krishnamurti que mexeu muito comigo e com todas as nossas lideranças. Segundo ele, “não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente”. Krishnamurti sugere que a saúde individual não pode ser medida apenas pela capacidade de se conformar às expectativas sociais.

Também faz parte do papel das empresas questionar e desafiar as normas estabelecidas pela sociedade e pelo mercado quando elas estão em conflito com valores como: equidade, compaixão e justiça. A diferença que queremos ver no mundo começa por cada um de nós.



No grupo Algar, as pessoas vêm primeiro

Por aqui, acreditamos que o valor intangível de uma companhia são as pessoas. Sonhos só são possíveis por meio delas. Além desse olhar para dentro, também trabalhamos tendo sempre em mente que o cliente é a nossa razão de existir.

Temos o propósito de servir e melhorar o dia a dia de pessoas e empresas, fazendo disso, um compromisso diário.

Leia também: O que é Futures Literacy e por que é importante para empresas

Por Juliana Afonseca, Gerente da UniAlgar

Gostou?
Compartilhe!

Posts relacionados

Inscreva-se em
nossa Newsletter

Fique por dentro do nossos conteúdos!