Categorias

Como promover impactos sociais positivos através da sua empresa

As empresas têm poder para realizar uma série de transformações na sociedade, nos mais diferentes níveis.

Uma forma de conseguir isso é ter políticas sérias voltadas para a responsabilidade e para a promoção de impactos sociais.

Pensar em como uma empresa pode ser socialmente responsável e de que maneira ela pode fazer a diferença no mundo ainda traz diversos benefícios para o negócio, além dos benefícios que a atuação social promove na vida das pessoas impactadas pelas ações.

Assim como já passou da hora das empresas adotarem medidas voltadas à sustentabilidade empresarial, é essencial que as companhias criem iniciativas que causem transformações profundas e impactos sociais relevantes.

Existem diversas possibilidades para as empresas gerarem esse impacto e programas nesse sentido são benéficos para quem faz e, principalmente, para quem é o público-alvo dessas medidas.

Como empresas podem gerar impacto social

Não importa o tamanho ou a área de atuação: qualquer empresa deve gerar impacto social e usar sua atividade comercial não só para obter lucro, mas também para promover transformações positivas para as pessoas.

Uma das formas de fazer isso é inserir a responsabilidade social na cultura organizacional, fazendo com que o tema não seja apenas tratado de forma pontual.

Ações de impacto social devem estar na maneira como a empresa funciona.

Do bem-estar de funcionários à medidas de redução de impacto ambiental, da escolha de parceiros que sejam socialmente responsáveis até programas de voluntariado, tudo isso tem relação com responsabilidade social.

Logo, ela deve estar em todas as instâncias de uma empresa.

Como medidas práticas, existem diversos caminhos que uma empresa pode escolher, desde que tenha força de vontade e iniciativa:

  • Apoiar causas sociais ao estabelecer parcerias com ONGs;
  • Criar iniciativas como programas de voluntariado e mutirões;
  • Promover uma cultura diversa e inclusiva na empresa;
  • Analisar parceiros comerciais, fornecedores e outros stakeholders, exigindo deles que tenham postura socialmente responsável também;
  • Discutir temas relacionados a causas sociais, de forma interna e externa, para que a partir dos diálogos sejam criadas ações de transformação.
  • Reconhecer as pessoas impactadas diretamente ou não pela atuação da empresa;
  • Ouvir as necessidades das comunidades abarcadas.

Depois, é fundamental mensurar o impacto social obtido com as ações da empresa.

Uma forma de fazer isso é usar o conceito de NPS (Net Promoter Score, que ajuda a mensurar o índice de satisfação de um determinado público) com os grupos que foram auxiliados pelas ações.

Também é importante considerar a opinião dos envolvidos na organização e realização das ações, para obter sua percepção.

Isso pode ser feito por meio de questionários e rodas de conversa nas quais todos possam dar sua opinião sobre o que foi feito e como melhorar.

Além disso, quando falamos em social precisamos ter sensibilidade para perceber se nossas ações estão contribuindo de forma efetiva para a melhora da qualidade de vida das pessoas, sendo este parâmetro acerca de qualidade, muito abrangente, mas no dia a dia está diretamente relacionado às diferentes necessidades de cada comunidade abarcada/envolvida.

Benefícios da responsabilidade social

Entre os benefícios que ações de impacto social, os principais são:

  • Transformar a realidade social de populações que, em seu cotidiano, sofrem com desigualdades que as impedem de ter mais qualidade de vida;
  • A possibilidade de estar coerente com a Agenda ESG, tema que já dita decisões de fundos de investimentos e stakeholders, por exemplo;
  • Manter a empresa alinhada às principais discussões sociais, o que influencia inclusive na decisão de compra de consumidores.

Hoje em dia, as novas gerações já pautam suas escolhas de consumo com base no comportamento das empresas.

Segundo estudo da Infobase Interativa com foco na geração Z, esse grupo quer se relacionar com negócios que preocupam-se com aspectos sociais:

  • 65% dos pesquisados pelo levantamento que são da Geração Z buscam saber a origem daquilo que consomem;
  • 70% buscam comprar apenas de empresas que eles acreditam serem éticas;
  • Por fim, 80% não compram de empresas que se envolvem em escândalos.

As iniciativas de impacto social ainda podem contribuir para a marca empregadora das empresas, o que é fundamental para atrair e reter talentos que fazem a diferença para os resultados do negócio.

Isso porque, cada vez mais, quem está no mercado de trabalho busca estar em empresas que se preocupam em influenciar positivamente a sociedade e que contam com iniciativas de responsabilidade social.

>Leia também: Por que o employer branding é importante para as organizações

A Algar Farming, o Instituto Algar e os impactos sociais

A Algar Farming conta com iniciativas como a Fazenda Pacajá, localizada no coração da Amazônia, no município de Portel, no Pará.

A Fazenda Pacajá se destaca pelo trabalho de manejo florestal, que é uma atividade oposta ao desmatamento, pois consiste na utilização, ambientalmente adequada, dos recursos da floresta. O principal objetivo do manejo florestal é manter a floresta viva, em pé.

Para isso, é feito uma rotatividade produtiva de árvores, em um ciclo contínuo de colheita consciente e preservação.

Junto a isso, o Manejo Florestal, reflete exatamente o que se entende por sustentabilidade e/ou ESG que é a obtenção da retidão ambiental pelas boas práticas, associado a justiça social e viabilidade do negócio.

Acreditamos que todos somos responsáveis pela herança que deixaremos para as gerações futuras.

Por isso, implantamos o Programa de Responsabilidade Socioambiental e Educação Ambiental, que promove práticas sustentáveis para a comunidade, como a preservação dos recursos naturais, tratamento de resíduos, além de oficinas e atividades que ajudam na geração de renda, acesso sustentável a alimentação, e educação por meio da Biblioteca na Floresta contribuindo para o bem-estar de todas as comunidades envolvidas pelo projeto, dentre elas uma quilombola, localizada no entorno da Fazenda Pacajá.

Além disso, também contamos com o Instituto Algar, criado em 2002 para promover impactos sociais profundos por meio da educação, esporte, cultura e voluntariado por meio de diversos programas.

Dessa maneira, a Algar contribui para o desenvolvimento de pessoas, mobilização de organizações e, principalmente, para a geração de oportunidades que ajudam a construir uma sociedade cada vez melhor.

Leia também: O poder de transformação do voluntariado corporativo na comunidade

Em 2020, foram mais de 45 mil pessoas impactadas em 31 cidades de 14 estados diferentes.

Afinal, o propósito de ser uma empresa formada por “Gente servindo Gente” vai além do aspecto empresarial e abrange também o lado social por meio do instituto.

O Instituto Algar é a representação de como empresas podem e conseguem promover impactos sociais nas mais diversas frentes.

Além de grandes números, o instituto mostra que, com vontade, coragem e organização, qualquer empresa pode fazer a diferença na sociedade e contribuir com um mundo melhor.

A responsabilidade e o impacto social também passam pela relação da sociedade com o meio ambiente, e as empresas podem contribuir de forma significativa para a preservação da natureza e, como consequência, para a transformação.

Conheça o exemplo da empreendedora que cria hortas orgânicas.

Por Luciana Di Paula, Gerente Executiva de Florestas da Algar Farming.

Gostou?
Compartilhe!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

Posts relacionados

Inscreva-se em
nossa Newsletter

Fique por dentro do nossos conteúdos!