Desempenho Econômico-Financeiro

Desempenho Econômico-Financeiro

GRI G4 EC1 – Tema material: Aspecto Desempenho Econômico
Crescer
gerando
valor de
forma
conjunta

Expansão das receitas aliada a uma maior
eficiência operacional da Companhia

Conjuntura econômica

O cenário econômico permaneceu desafiador ao longo do ano de 2014. Além de dois eventos importantes que concentraram as atenções, a Copa do Mundo de Futebol e as eleições presidenciais, assistimos a economia entrar em recessão técnica. Outro fator preocupante foi o aumento dos gastos públicos.

Em paralelo, convivemos com insistente pressão inflacionária. A inflação medida pelo IPCA continuou em patamares elevados, encerrando o ano em 6,41%, pouco abaixo do teto da meta da autoridade monetária. Com o objetivo de conter a inflação, que chegou a superar o teto da meta no decorrer do ano, o governo elevou os juros em 1,75 p.p, encerrando o ano de 2014 em 11,75%.

Contudo, a taxa média de desemprego manteve-se em níveis baixos e terminou o exercício de 2014 em 6,8%, abaixo do registrado no ano anterior.

As expectativas para 2015 são de ajustes fiscais, redução nos gastos públicos, aumento da carga tributária e recomposição dos preços administrados.


Desempenho operacional

Telecom

Em 2014, as Unidades Geradoras de Receitas (UGR) somaram cerca de 3,1 milhões no negócio Telecom, ante 2,8 milhões em 2013, evolução de 12,1%. Contribuíram para o crescimento quase todos os serviços, com exceção de TV. Destaque para o aumento de 24,9% em telefonia móvel.

Evolução das Unidades Geradoras de Receita

(em mil)


Telefonia fixa

O número de linhas fixas alcançou 1.321 mil, avanço de 9,6% frente as 1.205 mil linhas em 2013. Na concessão, o número de linhas passou de 804 mil para 812 mil, aumento de 1,0% estimulada pela oferta de pacotes. Na área de autorização o nosso avanço foi maior, 26,9% onde totalizamos 509 mil linhas dado o foco no segmento corporativo e reflexo da conquista de clientes nas cidades em torno do backbone.

Telefonia móvel

Nosso melhor desempenho foi na base de clientes de telefonia móvel, onde apuramos crescimento de 24,9% e ultrapassamos a barreira de 1 milhão de clientes, atingindo 1.151 mil. Conseguimos crescer tanto na base de clientes pré-pago como na de pós-pago, 25,5% e 22,9%, respectivamente. Tal aumento é explicado por planos mais competitivos e pela qualidade do serviço. Ao final de 2014, tínhamos 24,1% dos nossos clientes móveis alocados em planos pós-pagos e ARPU (receita média por usuário) de R$ 24,92.

Banda larga

Em 2014, o número de acessos banda larga foi de 495 mil, praticamente em linha com os 494 mil registrados em 2013. Na banda larga fixa (ADSL), cujo aumento do número de clientes foi de 4,8%, investimos na migração de clientes para serviços acima de 10 Mbps, os quais, ao final de 2014, já representavam 20% da base total. O número de usuários da banda larga móvel, por sua vez, reduziu 13,6% em razão de menores descontos concedidos na venda desse serviço.

TV por assinatura

Encerramos o ano de 2014 com 122 mil usuários, 9,8% inferior aos 135 mil verificados em 2013. Em 2014, a Companhia adotou a estratégia de limpeza da base de clientes e melhoria da qualidade nas vendas, o que explica tal redução.


Desempenho financeiro

Em 2013, fizemos algumas adequações na forma de divulgar os nossos resultados financeiros em razão de processos societários. Anteriormente, as informações de receita e EBITDA eram apresentadas divididas em três negócios: Telecom, Tecnologia de Processos de Negócios e Negócios Complementares. Com as alterações societárias, os valores que antes compunham os Negócios Complementares passaram a ser alocados nos dois outros negócios, da seguinte forma: os resultados advindos do serviço de listas e guias telefônicos passaram a compor o negócio Telecom, e os valores de engenharia de telecomunicações – provenientes do CNPJ Engeset – passaram a fazer parte do negócio Soluções integradas de TIC e BPO (anteriormente denominado Tecnologia de Processos de Negócios).


Receita bruta consolidada

A nossa receita bruta consolidada apresentou crescimento de 16,0% em relação ao registrado em 2013, somando R$ 2.850,4 milhões. O negócio Telecom contribuiu com 72% (77% em 2013) enquanto a participação do negócio Soluções integradas de TIC e BPO cresceu de 23% em 2013 para 28% em 2014. Parte do crescimento deste negócio se deve à aquisição, em janeiro de 2014, da Asyst.


Evolução da Receita Bruta

(em R$ milhões)

Receita bruta consolidada e participação do negócio
Soluções integradas de TIC e BPO

(em R$ milhões e %)


Telecom
A receita bruta no negócio Telecom somou R$ 2.049,7 milhões, valor 7,6% superior aos R$ 1.904,7 milhões obtidos em 2013. Os maiores destaques do período foram o aumento de 14,4% (R$ 75,8 milhões) nas receitas com clientes corporativos na área de expansão – excluído fator não recorrente, 28,0% nas receitas de voz móvel (R$ 66,1 milhões) e 20,2% (R$ 23,3 milhões) nas receitas de TV, as quais mais do que compensaram a queda das receitas de voz fixa e uso de rede.

Soluções integradas de TIC e BPO
Em 2014, as receitas do negócio Soluções integradas de TIC e BPO foi incrementada pela aquisição da Asyst e pela conquista de novos clientes. Com isso, o desempenho foi 44,6% maior, totalizando R$ 800,7 milhões.

Receita Líquida Consolidada

(em R$ milhões)


Receita operacional líquida

A nossa receita líquida consolidada alcançou R$ 2.237,8 milhões em 2014, o que representa crescimento de 17,7% se comparado com os R$ 1.902,0 milhões registrados em 2013.





Custos e despesas operacionais

Os custos e despesas operacionais consolidados, excluindo amortização e depreciação, totalizaram R$ 1.694,8 milhões em 2014. Em valores absolutos, o montante ficou 18,9% acima do que o registrado no ano anterior. As linhas com pessoal e serviços de terceiros no negócio Soluções integradas de TIC e BPO foram as principais responsáveis pelo acréscimo, parcialmente compensadas por uma queda nos custos de interconexão e provisão para créditos de liquidação duvidosa no negócio Telecom. Em termos relativos, no ano de 2014 os custos e despesas operacionais consumiram 75,7% da receita líquida, em linha com o verificado em 2013, 74,9%.


Provisão para créditos de liquidação duvidosa

Registramos redução de 17,3% nas despesas com provisão para créditos de liquidação duvidosa (PCLD), R$ 28,1 milhões em 2014 ante R$ 33,9 milhões em 2013. A relação PCLD/receita bruta atingiu 1,0%, frente a 1,4% do ano anterior. Esse desempenho é resultado de ações de eficiência que buscaram obter uma visão mais detalhada de cada um dos clientes da Companhia, combinada com fortes ações de controle no crédito e cobrança.


EBITDA

Com incremento de 14,0%, alcançamos EBITDA consolidado de R$ 543,0 milhões em 2014 ante R$ 476,5 milhões no ano anterior. A margem EBITDA consolidada foi 24%.

O EBITDA do negócio Telecom atingiu R$ 450,2 milhões em 2014, uma expansão de 12,5% sobre o de 2013. A margem foi de 30%, uma evolução de 2 pp em relação ao ano anterior. Esta evolução foi propiciada pela expansão das receitas aliada a uma maior eficiência operacional da Companhia, as quais afetaram, principalmente, as linhas de interconexão, meios de conexão, serviços de terceiros e PCLD.

O negócio Soluções integradas de TIC e BPO apresentou uma evolução positiva de 22,8% no EBITDA, que totalizou R$ 92,7 milhões em 2014. A margem, por sua vez, passou de 13% em 2013 para 12% em 2014, impactada pelos gastos direcionados à integração da empresa adquirida – Asyst.

EBITDA e Margem EBITDA

(em R$ milhões e %)

EBITDA por negócio

(em R$ milhões)



Resultado financeiro líquido

No exercício de 2014, o resultado financeiro líquido totalizou despesa financeira de R$ 127,0 milhões, 45,8% maior que a registrada em 2013. O aumento é decorrente do maior saldo médio de dívida, para financiar os investimentos da Companhia, e de maior taxa média de endividamento, reflexo do aumento dos índices CDI e IPCA no ano de 2014 (cerca de R$ 24 milhões).


Lucro líquido

O lucro líquido ao final de 2014, foi de R$ 141,8 milhões, 2,9% maior do que os R$ 137,8 milhões registrados no exercício social encerrado em 2013. Em 2014 o lucro foi impactado positivamente por um efeito não recorrente no valor de R$ 21,0 milhões, referente a tributos diferidos sobre créditos fiscais. Excluindo este efeito, o resultado do ano é de R$ 120,8 milhões e margem de 5,4%. O desvio em relação a 2013, a despeito da melhor performance operacional medida pelo EBITDA, é explicado por maiores despesas com depreciação e empréstimos – em razão dos investimentos necessários para cumprimento do plano de expansão da Companhia no período.


Endividamento Bruto e Líquido

(em R$ milhões)

Endividamento

Ao fim de 2014, nossos endividamentos bruto e líquido eram de R$ 1.246,7 milhões e R$ 1.118,3 milhões, respectivamente, ante R$ 1.073,9 milhões e R$ 881,8 milhões em 2013. O aumento da dívida bruta – de R$ 172,8 milhões – é explicado pelas captações efetuadas para financiar parte dos investimentos do ano, incluindo a aquisição da empresa Asyst, os quais somaram R$ 572 milhões. O nível de alavancagem financeira permanece no patamar considerado adequado pelos administradores e controladores. O aumento de nossa dívida é direcionado para investimentos que proporcionarão a manutenção de clientes e a criação de diferenciais para expansão dos negócios. O perfil da dívida é de longo prazo, com 17% vencendo no curto prazo (14% em 2013).



Investimentos

Em 2014 foram investidos R$ 572 milhões para propiciar o crescimento do ano, a aquisição da empresa Asyst e reforçar o posicionamento competitivo da Companhia nos anos seguintes. Do total de investimentos, 57% foi direcionado para a expansão de redes e o consequente crescimento dos serviços de dados, voz e TV e 6% para a expansão orgânica do negócio Soluções Integradas de TIC e BPO. A manutenção da operação e a garantia da qualidade dos serviços recebeu 20% dos recursos e, por fim, os outros 17% foram direcionados para a aquisição da empresa Asyst, no negócio de TI.

Ao longo do ano, assinamos acordo com as empresas Angola Cables, Antel e Google para a construção de um cabo submarino de fibra ótica que ligará a cidade de Santos (SP) a Boca Raton (Flórida, Estados Unidos). Também fizemos a aquisição do Lote 5 da faixa de frequência de 700 MHz (4G) no leilão realizado pela Anatel, o qual contempla os 87 municípios já atendidos pela Companhia nos Estados de MG, SP, GO e MS.


DVA

GRI G4 EC1 – Tema material: Aspecto Desempenho Econômico

O demonstrativo do valor adicionado (DVA) é o valor econômico direto gerado e distribuído por nós, incluindo receitas, custos operacionais, remuneração de empregados, doações e outros investimentos na comunidade, lucros acumulados e pagamentos para provedores de capital e governo. Geramos, em 2012, 2013 e 2014, R$ 1.437 milhões, R$ 1.502 milhões e R$ 1.782 milhões, respectivamente. A maior parte desses valores foi distribuída aos associados e ao governo. O montante destinado aos acionistas manteve-se praticamente estável nos três últimos anos.


Demonstração de valor adicionado e distribuições

(em R$ milhões)

DVA 2012 2013 2014
1. RECEITAS 2.336,0 2.451,4 2.855,2
VENDAS DE MERCADORIAS, PRODUTOS E SERVIÇOS 2.336,0 2.451,4 2.855,2
2. INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS (INCLUI ICMS E IPI) (762,7) (788,9) (869,6)
CUSTOS DAS MERCADORIAS E SERVIÇOS VENDIDOS (489,0) (498,7) (548,5)
MATERIAIS, ENERGIA, SERVIÇOS DE TERCEIROS E OUTROS (273,7) (290,2) (321,1)
PERDA/RECUPERAÇÃO DE VALORES ATIVOS - - -
3. VALOR ADICIONADO BRUTO 1.573,3 1.662,5 1.985,5
4. RETENÇÕES (161,6) (186,8) (237,5)
DEPRECIAÇÃO, AMORTIZAÇÃO E EXAUSTÃO (161,6) (186,8) (237,5)
5. VALOR ADICIONADO LÍQUIDO 1.411,7 1.475,7 1.748,0
6. VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA 25,1 26,4 33,9
RESULTADO DE EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL - - -
RECEITAS FINANCEIRAS 25,1 26,4 33,9
7. VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR 1.436,8 1.502,1 1.782,0
8. DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO 1.436,8 1.502,1 1.782,0
PESSOAL E ENCARGOS 572,8 608,5 800,2
IMPOSTOS, TAXAS E CONTRIBUIÇÕES 583,9 607,8 640,0
JUROS E ALUGUÉIS 139,1 148,0 200,0
JUROS SOBRE CAPITAL PRÓPRIO E DIVIDENDOS 34,4 32,8 33,8
LUCROS RETIDOS / PREJUÍZO DO EXERCÍCIO 106,6 105,0 108,1