Desempenho Ambiental

Desempenho Ambiental

GRI G4 14 | EN1 | EN3 | EN4 | EN15 | EN16 | EN23 | EN27 | EN29 | EN31 – Temas materiais: Aspectos Materiais; Energia
Sustentabilidade
presente no dia a dia

Somos reconhecidos no mercado como empresa modelo em sustentabilidade ambiental, pelo Guia Exame de Sustentabilidade (2013 e 2014)

Por ser um dos cinco valores da Companhia e ter alinhamento estratégico, a sustentabilidade está presente de forma intensa em nosso dia a dia. Na Algar Telecom, a área de planejamento da sustentabilidade ambiental (curto, médio e longo prazo) é ligada diretamente à presidência. No escopo da área estão as aprovações e gestão do orçamento dedicado, a auditoria, a promoção de melhorias contínuas e a adoção de melhores práticas. Fazemos parte do Comitê de Sustentabilidade, coordenado pelo Instituto Algar, e que abrange toda a nossa área de atuação, promovendo o engajamento de maneira eficaz, o que contribui para a disseminação aos associados da cultura de sustentabilidade.


Comitê de Sustentabilidade:

Estabelecido em 20 cidades, a sua composição conta com cerca de 40 associados com o perfil para a atividade e afinidade com comunicação e talentos humanos, monitorando a eficácia das ações e proporcionando ritmo na execução dos planos de ação ambientais das empresas, além de reconhecer as contribuições individuais e coletivas.


Sistema de Gestão Ambiental

GRI G4 14 | EN29

Adotamos um sistema de gestão que nos permite desenvolver e praticar políticas e metas ambientalmente sustentáveis, levando em conta aspectos ambientais influenciados pela organização e outros passíveis de serem controlados por ela. Em consequência, desde 2012 a Algar Telecom possui certificação ISO 14001 e a Algar Tech também está se preparando internamente para sua obtenção.

Um dos itens essenciais nesse processo é a sistematização de informações e dados de gestão ambiental, por isso fazemos amplo uso do Sistema Online de Gestão Integrada (SOGI) para acompanhamento das leis e regulamentos ambientais vigentes aplicáveis. A partir das informações do sistema são definidas ações para atendimento à legislação e procedimentos de monitoramento presenciais.

Buscamos usar toda a nossa rede de relacionamento para realizar uma gestão de negócios que contribua com a preservação do meio ambiente e do futuro do planeta. Sabemos que podemos influenciar positivamente a comunidade, fornecedores, clientes ou associados. É por isso que, como critério de seleção e homologação, exigimos dos nossos fornecedores comprovações de conformidade ambiental. Na minuta de contrato padrão consta cláusula específica de meio ambiente e os fornecedores devem cumprir o Código de Conduta Algar.

Seguimos as diretrizes ambientais estabelecidas pelo Instituto Algar, por meio da Política Ambiental Corporativa, e disseminadas através do Programa Algar Sustentável, com orientações sobre maior eficiência no uso dos recursos, mobilização dos associados, uso de tecnologias mais limpas, eficiência energética e ações que potencializem a redução das emissões nas operações. Para nós, estar em conformidade com as leis ambientais, não obter multas, termos de ajuste de conduta ou qualquer outro tipo de sanção é um compromisso. Em 2014, não houve casos de não conformidade com leis e regulamentos ambientais.


Investimentos e gastos em proteção Ambiental

GRI G4 EN31

Em 2014, A Algar Telecom triplicou os gastos em ações ambientais, em relação a 2013, chegando a 3,6 milhões de reais. A maior parte, 80%, foi destinada a projetos com tecnologias mais limpas, como o projeto LED de eficiência energética e a Instalação de painéis fotovoltaicos.

(em R$ mil) 2013 2014
TOTAL 943 3.695
Custos de disposição de resíduos, tratamento de emissões e de mitigação - R$ mil 175 167
  Tratamento e disposição de resíduos 142 131
  Despesas com compra e uso de certificados de emissão 33 36
Custos de prevenção e gestão ambiental 768 3.528
  Pessoal utilizado em educação e treinamento 20 68
  Serviços externos de gestão ambiental 360 198
  Certificação externa de sistemas de gestão 33 15
  Pessoal para atividades gerais de gestão ambiental 223 247
  Pesquisa e desenvolvimento 20 ND
  Despesas extras para instalar tecnologias mais limpas 80 2.944
  Despesas extras em compras verdes ND 13
  Outros custos de gestão ambiental 32 43

ND – Dados Não disponíveis


Canais de comunicação ambiental

Para entender mais sobre a Gestão de Sustentabilidade da Algar Telecom, os associados podem acessar a página de sustentabilidade ou os Documentos Úteis na Intranet, ou ainda acessar o BPP (Biblioteca de Processos e Procedimentos). Os interessados podem interagir com ideias, críticas, elogios ou sugestões acessando o site da Algar Telecom, ou enviando email para ambiental@algartelecom.com.br. Outra opção é ligar para o Telefone Verde, 24 horas à disposição: 4005-9912. A interação é a chave da melhoria contínua e disseminação da cultura de sustentabilidade.


40 projetos
Influenciadores ambientais • sociais • econômicos

Força multiplicada
Os associados são engajados na cultura sustentável estabelecida desde a época do fundador, Alexandrino Garcia. É famosa sua citação que define essa visão: “Nossa preocupação é com o homem do futuro e com o futuro do homem”.
Transformando R$ 1 bilhão comprado de parceiros em dinheiro sustentável
Além das exigências sociais e ambientais a Algar Telecom passou a oferecer cursos de capacitação e treinamento específico para fornecedores focados na gestão sustentável.
Mudando a vida da comunidade e dos clientes Influenciar pessoas e agir pelo futuro. É assim que a Algar Telecom entende a sustentabilidade, buscando em cada ação da Empresa beneficiar, manter e desenvolver a sociedade, economia e natureza. De forma justa e perene.

Consumo de Energia

GRI G4 EN3 | EN4 | EN27 – Tema material: Aspecto Energia

Nosso processo de monitoramento e acompanhamento dos dados sobre o consumo de energia está de acordo com a Política Ambiental Corporativa, aprimorada constantemente. Coletamos as informações de forma sistêmica na ocasião da elaboração do inventário anual de gases de efeito estufa (GEE), que segue as diretrizes do GHG Protocol; do Intergovernmental Panel on Climate Change, IPCC 2006 Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories e da ABNT NBR ISO 14064-1/2006.

Em 2014, o consumo de energia dentro das organizações esteve distribuído da seguinte forma: 59% proveniente da Algar Telecom, 40% da Algar Tech e 1% da Algar Mídia. O consumo de energia na Algar Telecom aumentou em 7% de 2013 para 2014, devido ao crescimento da atuação da empresa em novas localidades. Apesar do aumento no consumo energético, houve uma transição para fontes mais limpas de energia na frota de veículos da empresa. Contabilizamos uma redução significativa de 44% do consumo de combustíveis não renováveis (gasolina e óleo diesel). A parcela do consumo energético das frotas e geradores da Algar Telecom suprida por combustíveis renováveis aumentou de 60%, em 2013, para 82%, em 2014. O consumo energético na Algar Tech também aumentou, de uma forma geral, em 136% de 2013 para 2014. O fator que influenciou significativamente esse aumento foi a incorporação das atividades da Engeset.

Realizamos ações e buscamos conscientizar e engajar os associados para reduzir nosso consumo energético. Em 2014, substituímos equipamentos de ar condicionado por novos, proporcionando menor consumo, trocamos também as fontes de corrente contínua de baixo rendimento por novas, de maior rendimento e que permitem gerência remota, desativamos os equipamentos de transporte de dados obsoletos e substituímos os servidores antigos por outros mais modernos nos data centers. A medida mais importante foi a instalação de 28 painéis de energia solar fotovoltaica em Uberlândia (MG), capaz de suprir, em média, 60% do consumo anual da sede da Algar Telecom.

Pretendemos aumentar gradativamente a abrangência dos inventários de emissões e o engajamento dos fornecedores de serviços da nossa cadeia de valores, de modo que outras atividades controladas operacionalmente por terceiros possam ser mapeadas e o consumo de energia possa ser quantificado de forma precisa.

Energia direta - Giga Joules (GJ) 1 2013 2014
Consumo total de energia direta 381.270,53 445.981,92
Consumo de combustíveis – Não renováveis 42.574,05 51.641,62
Gasolina A 19.326,22 22.170,80
Óleo Diesel 22.492,51 28.629,08
Gás Liquefeito de Petróleo 755,32 841,74
Consumo de combustíveis – Renováveis 34.535,74 70.966,59
Etanol Anidro 4.068,92 5.113,32
Biodiesel (B100) 1.047,39 1.603,00
Etanol Hidratado 29.419,43 64.250,27
Eletricidade Comprada 304.160,74 323.373,71

1 Na maioria dos casos, o consumo de combustíveis é a evidência primária e é feita a conversão de L para GJ com base nos fatores apresentados pelo Balanço Energético Nacional (EPE/MME, 2013). Nas situações em que a informação disponível foi a quilometragem percorrida ou o total gasto (em R$), a conversão para L foi feita com base nos fatores apresentados pelo 1º Inventário Nacional de Emissões Atmosféricas por Veículos Automotores Rodoviários (MMA) e em fatores estimados pelas empresas do Grupo Algar e que são coerentes com a sua realidade. A conversão do consumo de eletricidade aferido em MWh para GJ também é feita com base nos fatores apresentados no Balanço Energético Nacional – BEN (EPE/MME, 2013).

Adicionalmente, para a estimativa do consumo energético na combustão dos combustíveis blends utilizados – gasolina C e diesel B5 – levou-se em consideração o percentual de biocombustível presente nas misturas, conforme definido pela legislação brasileira. De acordo com resolução do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), tanto a gasolina comum quanto a aditivada devem conter um percentual de álcool anidro na mistura, de 23,3% para o ano de 2013 e 25% no ano de 2014. Analogamente, a mesma metodologia é aplicada ao consumo de óleo diesel reportado pelas empresas nomeado de “diesel B5”. Pela legislação brasileira vigente no ano de 2013, o óleo diesel deveria conter, obrigatoriamente, 5% em volume de biodiesel em sua mistura. Já no ano de 2014, esse percentual passou para 5,7%.
Energia indireta - Giga Joules (GJ) 1 2013 2014
Consumo total de energia indireta 50.168,52 44.979,42
Consumo de combustíveis – Não renováveis 34.142,31 34.825,60
Gasolina A 28.870,79 25.982,81
Óleo Diesel 594,69 5.959,15
Gás Natural 4.676,83 2.883,64
Consumo de combustíveis – Renováveis 8.419,30 10.153,82
Etanol Anidro 6.078,42 5.992,50
Biodiesel (B100) 20,86 334,13
Etanol Hidratado 2.320,02 3.827,19
Eletricidade Comprada 7.606,92 ND

1 Dados abrangem principalmente o consumo de combustível nos carros utilizados pelos consultores, diretores e associados das empresas, nos táxis e nos transportes terceirizados contratados pelas empresas.

Emissões

GRI G4 EN15 | EN16 | EN27

O Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) é a nossa principal ferramenta para a gestão do carbono nas organizações, para mapear oportunidades de redução nas emissões de GEE em nossos processos e operações e implementar planos táticos e ações destinadas a reduzir e/ou compensar os impactos da Companhia associados a este tema. Conforme citamos no tópico Consumo de Energia, usamos metodologias internacionalmente reconhecidas para a quantificação de nossas emissões.

Optamos pela abordagem de controle operacional, a partir da qual são incluídas no inventário as emissões de quaisquer organizações e unidades produtivas sobre as quais temos controle, ainda que compartilhado. A quantificação das emissões de GEE é realizada desde 2011 (ano base 2010), através de um processo que envolve desde responsáveis de áreas técnicas até cargos executivos.

A eficiência energética é um dos nossos principais focos de atenção no aspecto ambiental. Além de termos uma Comissão Interna de Conservação de Energia (CICE), adotamos uma plataforma de gerenciamento de contas de energia em nossos sites visando aprimorar o acompanhamento do consumo de energia elétrica. Assim, conseguimos mensurar o consumo de forma precisa e estabelecer objetivos e metas como a de manter a taxa de crescimento do consumo de eletricidade menor do que a taxa de crescimento da empresa, bem como quantificar os resultados de medidas de redução implementadas. Em 2014, nossas ações de eficiência energética foram priorizadas nas frotas de veículos, com a substituição de parte da frota por automóveis mais modernos e econômicos. Também promovemos a otimização de viagens e melhoramos nossos sistemas de gestão para o monitoramento do consumo de combustíveis. Temos orientado os associados a abastecer os veículos apenas com etanol, reduzindo as emissões de GEE decorrentes do consumo de combustíveis fósseis, como a gasolina.

Cerca de 90% das emissões de GEE das fontes estacionárias são referentes aos geradores da Algar Tech, que contribuíram significativamente para o acréscimo observado nas emissões destas fontes em 2014. Dada a maior intensidade das operações na unidade, o gerador da regional de Campinas apresentou o maior aumento absoluto em 2014.

A frota de veículos da Algar Tech representou aproximadamente 58% das emissões das fontes móveis das empresas em 2014 devido à incorporação da frota da Engeset. A frota da Algar Telecom representou 39% das emissões dessa fonte, assim, a parametrização do uso exclusivo de etanol gerou um aumento significativo na parcela do consumo energético referente aos combustíveis renováveis, contribuindo para a redução de cerca de 42% das emissões diretas da empresa. Por outro lado, as emissões biogênicas, resultantes da queima de biomassa de origem renovável e, portanto, consideradas “carbono neutro”, aumentaram em 72% devido ao maior uso de etanol na frota. As demais empresas, Algar Tech e Algar Mídia, também apresentaram reduções significativas nas emissões de suas frotas – desconsiderando a frota absorvida pela Algar Tech da Engeset – de 71% e 33%, respectivamente. Grandes esforços têm sido canalizados para aumentar a parcela de fontes de energia renovável na matriz energética da Algar Telecom, Mídia e Tech. Essas iniciativas vêm trazendo benefícios tangíveis tanto para Empresa quanto para a sociedade, não somente por meio da diminuição de suas emissões diretas de GEE como também através da contribuição para um planeta mais sustentável e uma sociedade mais consciente.

De 2013 para 2014, tivemos um aumento de eletricidade comprada em todas as empresas, sendo 2% na Algar Telecom, 5% na Algar Mídia e 14% na Algar Tech. Entretanto, as emissões de GEE relacionadas ao consumo de eletricidade não aumentaram na mesma proporção, sendo 42%, 48% e 59%, respectivamente, no mesmo período. Tal aumento nas emissões não é de responsabilidade das empresas, mas devido a um menor nível de água nos reservatórios nacionais e, portanto, maior participação das centrais térmicas movidas a combustível fóssil na geração de energia no Brasil em 2014. As centrais hidrelétricas não comportaram a demanda energética, fazendo com que as térmicas precisassem ser ativadas, acarretando em um aumento do fator de emissão do Sistema Interligado Nacional (SIN). Ou seja, para uma mesma quantidade de energia elétrica consumida, as emissões de GEE foram mais altas em 2014 do que em 2013.


Emissões diretas de
gases de efeito estufa
(tCO2e) - Escopo 1 1
2013 2014
Total de emissões diretas – Escopo 1 3.145,77 3.840,24
Fontes estacionárias 1.515,86 1.800,67
Fontes móveis 1.629,74 2.039,39
Emissões fugitivas 0,17 0,19
Total de emissões biogênicas 2 2.739,83 5.634,83

1 Foram contemplados os seguintes gases de efeito estufa (GEE) regulados sob o Protocolo de Quioto: CO2, CH4 e N2O e família dos hidrofluorocarbonetos (HFCs).

2 As emissões de CO2 oriundas do consumo de combustível de origem renovável são consideradas “carbono neutro”, uma vez que o CO2 liberado na sua combustão equivale ao CO2 retirado da atmosfera pelo processo de fotossíntese. Toda a biomassa consumida nas empresas é proveniente de práticas de manejo sustentável de florestas

Emissões indiretas de
gases de efeito estufa
(tCO2e) - Escopo 2 1 2
2013 2014
Total de emissões indiretas – Escopo 2 8.116 11.999

1 Foram incluídas as emissões de CO2 da geração da eletricidade importada pelas empresas. As metodologias aplicáveis para o cálculo de emissão do Sistema Interligado Nacional (SIN) não contemplam as emissões de CH4 e N2O. O fator de emissão do SIN, em conformidade com as diretrizes do GHG Protocol, é fornecido pelo Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). A metodologia utilizada para a quantificação do fator segue a ferramenta metodológica da UNFCCC.

2 As emissões de GEE relacionadas à geração da eletricidade importada pela empresa são consideradas emissões indiretas da empresa, uma vez que a mesma não possui qualquer ingerência sobre a forma de geração de energia da rede elétrica nacional.



Uso de Materiais

GRI G4 EN1 | EN27 – Tema material: Aspecto Materiais

Temos o compromisso de melhorar a eficiência dos nossos processos de produção buscando a melhor gestão dos recursos, eliminando desperdício de insumos e ainda oferecendo produtos com o mínimo impacto ambiental. Para reduzir o consumo de papel para fins administrativos, trabalhamos a conscientização dos associados de diferentes áreas e funções. Na Algar Telecom criamos um sistema interno, o PCounter, para gerar relatórios de todas as impressões por Centro de Resultado (CRs) e as áreas são notificadas sobre seu desempenho. Para a quantificação do consumo de papel de terceiros, principalmente agências de publicidade, solicitamos uma prestação de contas mensal sobre o consumo gerado.

Em 2014, aumentamos em 94% o consumo de papel, em comparação a 2013. Esta variação é reflexo direto da internalização do processo de impressão de jornais e guias na Algar Mídia. Acreditamos que essa mudança nos dará maior controle sobre o processo, principalmente, sobre o aspecto ambiental. Quanto ao consumo de papel para as atividades administrativas e de marketing, estimulamos a redução através de campanhas internas de conscientização e do avanço da governança em sustentabilidade, com monitoramento de indicadores estratégicos e operacionais. Houve ainda forte adesão a conta eletrônica ao invés da impressa, com bônus em minutos de ligação e o apelo ao meio ambiente.

Tipo de materiais 1 2013 2014
Total de papel consumido (toneladas) 780 1.513
Total de toners usados (unidade) 1.341 1.094
Total de bobinas utilizadas (kg) 12.714 19.925

1 Dados referem-se aos insumos utilizados na impressão de jornais e listas telefônicas da Algar Mídia e compreendem o período de 1˚ de janeiro a 31 de dezembro de 2014, além do ano de 2013 para fins de comparação.



Gestão de Resíduos

GRI G4 EN23 | EN27

A Política Nacional de Resíduos Sólidos entrou em vigor em 2014, mas já realizávamos procedimentos de gestão de resíduos e destinação correta em conformidade com o Programa Algar Sustentável e com a Política Ambiental Corporativa.

Os resíduos gerados em nossas operações são coletados a partir de pontos de recolhimento instalados em todas as regionais das empresas e segregados para tratamento e a destinação correta desses materiais, realizadas por empresas contratadas e especializadas. Estas empresas fazem as pesagens dos resíduos e enviam relatórios com informações que são consideradas para o desenvolvimento do inventário de emissões de gases de efeito estufa – emissões indiretas relacionadas ao tratamento/disposição final dos resíduos. As regionais realizam ainda o recolhimento de lâmpadas fluorescentes, pilhas e baterias para a destinação adequada, pois são considerados perigosos conforme definição na Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Mais de cinco toneladas de resíduos perigosos já foram coletados, evitando assim prejuízos à saúde pública ou à qualidade ambiental. Um projeto interessante envolvendo resíduos que foi criado exclusivamente na Algar Telecom é o Recicle na Linha. Por meio dele, é feita a reciclagem das bolhas de telefones públicos, que se transforma em diversos itens, tais como cocho para alimentação de gado e outros animais, cadeiras, objetos decorativos, entre outros. Como já citado, a empresa também incentiva os clientes a aderir às faturas eletrônicas, reduzindo o consumo de papel utilizado na emissão das contas. O projeto já acarretou em uma redução de mais de 1,5 toneladas de papel e a adesão de mais de 100 mil clientes.

As campanhas “Não ao Uso do Copo Descartável” e “Coleta Seletiva”, ambos já implementados, visam a redução do volume de resíduo gerado, substituindo os copos descartáveis por canecas de porcelana, e aumento da reciclagem dos resíduos com a coleta seletiva.

Na Algar Tech, após o início das campanhas para orientar os associados quanto à separação dos resíduos, a quantidade de resíduos destinada ao aterro nos sites de Uberlândia (MG) reduziu de 20 toneladas por mês em 2013 para 14 toneladas por mês em 2014.


Total de resíduos gerados (método/toneladas) 2013 (t) 2014 (t)
Resíduos Não-Perigosos 1.023 576
Reciclagem 174 217
Disposição em Aterro 813 359
Compostagem 36 ND

ND – Dados não disponíveis


Ações Ambientais em Destaque

GRI G4 EN27

Programa de Eficiência Energética

O programa, iniciado em 2010, visa a realização de ações, campanhas de conscientização e projetos de eficiência energética com o objetivo de reduzir custos e aumentar a eficiência operacional, além de preservar os recursos naturais e o meio ambiente. São destaques: otimização de equipamentos, modernização do parque tecnológico e fontes alternativas de energia.


Mobilidade Sustentável
Há mais de cinco anos investimos na implantação de diversas ações para reduzir as emissões decorrentes da frota de veículos. São destaques:

Carona Legal Criado para os associados que se reúnem em grupos de no mínimo três pessoas para se locomoverem de carro até o local de trabalho. Os Clubes de Carona são formados semestralmente e os participantes têm direito a vagas exclusivas no pátio interno da Algar Telecom, inclusive nas regionais.

Frota Algar Telecom Uso exclusivo de etanol, modernização dos veículos e do processo de manutenção, programa de condução consciente e sistema de viagens otimizada para aproveitamento de rotas.

Carro Verde Adesivado com mensagens e elementos que reforçam a importância das causas sustentáveis, o carro verde é aproveitado para fazer o transporte das mudas de plantas usado nos projetos sociais em parceria com as escolas municipais.

Coleta Seletiva
O programa de coleta seletiva foi desenvolvido em 2011 com o objetivo de promover a coleta e destinação adequada dos resíduos produzidos diariamente. A dinâmica da coleta seletiva foi estabelecida pelo programa Algar Sustentável e acompanhamos todo o processo de destinação, inclusive a pesagem junto à cooperativa. São destaques ainda:

Estações de coleta Todas as áreas e lojas da Algar Telecom possuem lixeiras coletoras devidamente adesivadas com exemplos de descarte.

Gincana de coleta seletiva Campanha interna entre os centros de resultado das empresas para averiguação do descarte correto. As áreas com os melhores resultados são premiadas.

Coleta de resíduos perigosos
Coletamos três tipos de resíduos perigosos: lâmpadas fluorescentes, óleo de cozinha, pilhas e baterias. Hoje esse programa abrange todas as regionais da Algar Telecom, que fazem a destinação final dos resíduos.

Plantio de mudas
Há vários anos desenvolvemos ações de plantio de mudas de espécies nativas do cerrado para recuperação de áreas degradadas. Esta iniciativa surgiu tendo como propósito a compensação das emissões de GEE, e em 2014 foi incentivada como ação cultural e social. Todo novo associado recebe uma muda para plantar, o que simboliza a responsabilidade da Algar Telecom com o meio ambiente. O envolvimento dos associados nas ações de plantio fortalece a cultura de preservação da natureza.

Viveiro
Para auxiliar o plantio de mudas, estruturamos dois viveiros com mudas nativas do Cerrado, disponibilizando o local para pesquisas acadêmicas, produção e doação de mudas para a comunidade, arborização urbana e recuperação de áreas degradadas.

Conta via e-mail
Para reduzirmos a utilização de papel passamos a enviar a fatura dos serviços prestados de forma eletrônica (e-mail) para os clientes que optam pelo programa de pagamento automatizado. O cliente, além de contribuir com o meio ambiente, ainda recebe bônus em minutos de ligação.

Uso consciente do papel
Realizamos constantemente campanhas de mudança comportamental para redução do uso de papel. As impressoras foram parametrizadas para impressão frente e verso e no modo rascunho.

Consumo consciente de Água
Um dos temas de maior destaque na atualidade, o consumo consciente de água sempre foi nossa preocupação. A cada ano procuramos nos aprimorar e adotar sistemas mais eficientes e inteligentes, bem como ferramentas corporativas de gestão das contas e campanhas de conscientização. Na Algar Telecom temos a Comissão Interna de Conservação de Água (CICA), que é responsável por identificar as unidades com maior consumo e criar ações contra o desperdício. Ainda contamos com ações educadoras e medidas preventivas para o uso racional de água.

Recicle na linha
Transformamos as bolhas de telefone público (TPs) que não são mais utilizadas em coletores de materiais (recicláveis e não recicláveis), jardineiras, chafariz, cadeiras, poltronas, carros de mão para construção civil e muito mais. O projeto começou em 2011 com a reutilização das bolhas de TP em recipientes para alimentação de gado. Mais de 3 mil famílias foram beneficiados com o projeto. Em 2014, cerca de 50 clientes da Algar Telecom foram presenteados com poltronas feitas das bolhas de TP.