Voltar

Jovem cria técnica que limpa plástico dos oceanos

A proposta do holandês é ousada: remover metade do plástico do maior lixão oceânico do mundo em 5 anos.

13 de junho de 2017 / Por: Redação

A lamentável realidade dos nossos oceanos é que existem pelo menos 250 mil toneladas de peças plásticas nas águas. Em algumas áreas específicas, esse problema é especialmente preocupante.

É o caso da Great Pacific Garbage Patch, que fica ao norte do Oceano Pacífico. Chamada de “depósito de lixo gigantesco”, essa área concentra grande parte do plástico dispensado nos oceanos, que chegam a formar ilhas de lixo.

A MUDANÇA DE CENÁRIO

A ideia mais promissora para ajudar a melhorar essa situação vem de um jovem de 22 anos. Boyan Slat é um ambientalista holandês e criador da Ocean Cleanup Foundation. Sua empresa tem uma proposta bastante ousada: retirar metade do plástico da Great Pacific Garbage Patch em um período de 5 anos.

Como eles pretendem fazer isso? Cercando o lixo em alto mar com barreiras gigantes, feitas de polietileno de alta densidade, com o formato de um “U” - parecido com aqueles macarrões usados como boia em piscinas, só que mais aberto.

Essas barreiras já são usadas com esse propósito, mas o diferencial das que foram criadas por Boyan é que elas podem navegar os sete mares, pois não precisam ficar presas no fundo dos oceanos. As âncoras que as deixam flutuando ficam soltas, boiando em águas mais profundas – a cerca de 600 metros da superfície.

De início, a proposta era criar uma barreira com 96,5 km de extensão. Posteriormente, o projeto ficou com 50 estruturas de aproximadamente 1 km cada. Assim, se uma delas falhar, há outras 49 funcionando a todo vapor para limpar o lixo oceânico.

O protótipo de 1 km de extensão será testado ainda em 2017, com estimativa de que todo o projeto esteja pronto já em 2018.

Fonte: Super Interessante