Voltar

Sistemas dizem quando e onde acontecerá um crime

As ferramentas, que já estão funcionando nos EUA, analisam a probabilidade da ocorrência de um delito numa determinada área.

12 de maio de 2017 / Por: Redação

Os policiais agora contam com uma ajuda digital de peso para proteger a população. Nos Estados Unidos já estão funcionando sistemas de big data que facilitam a prevenção do crime e a caça aos criminosos.

Usando processamento de grandes volumes de dados, essas ferramentas permitem analisar a probabilidade da ocorrência de um delito numa determinada área, ou seja, permite saber quando e onde acontecerá um crime. Com isso, a polícia envia patrulhas à área para dissuadir os potenciais delinquentes.

COLETA DE DADOS

Em geral, as informações que esses sistemas usam são dados históricos, como os tipos de delitos que já ocorreram, onde e quando. A empresa PredPol trabalha utilizando esses dados em suas ferramentas.

Há também ferramentas que utilizam informações mais complexas, como releva Ramiro Rego, Especialista em Análise de Dados da IBM. Elas combinam o conteúdo dos boletins policiais, às vezes escritos à mão, com informações meteorológicas (a criminalidade diminui quando chove ou neva) e com determinadas conjunturas, como se é dia de pagamentos (nos Estados Unidos muitas empresas ainda usam cheques). Além disso, também reduzem as listas de suspeitos ou incluem alguns novos que eles não haviam pensado.

As previsões são feitas com margens bastante estreitas: para as próximas 10 ou 12 horas e áreas marcadas muito concretas, de 150x150 metros.

RESULTADOS

Em Memphis-EUA, a polícia afirma que, graças ao big data, a incidência de crimes sérios teve uma queda de 30%, sendo que os episódios violentos diminuíram em 15%. Numa determinada área de Richmond, capital do Estado da Virgínia, a polícia conseguiu uma redução de quase 30% nos crimes violentos e homicídios no período de um ano. Os dois departamentos policiais usam sistemas da IBM para prever os delitos.

Ainda nos Estados Unidos, em Reading-Pensilvânia, houve redução na criminalidade após a cidade adquirir um software de prognósticos para segurança pública. Em 14 meses, os roubos caíram 23%, apesar da redução do contingente policial nesse período. A chave foi o algoritmo da PredPol, uma startup californiana que usa o big data para prever o comportamento da criminalidade.

Fonte: El País