Voltar

Metalente supera o olho humano

O dispositivo inspirado no olho humano possui superfície plana, é ultrafino e totalmente adaptável

11 de abril de 2018 / Por: Redação

As lentes de vidro parecem estar com os dias contatos. Isso porque Pesquisadores de Harvard, da Escola de Engenharia e Ciências Aplicadas John A. Paulson (SEAS) desenvolveram a primeira metalente capaz de focar todo o espectro visível da luz – incluindo a luz branca. O dispositivo inspirado no olho humano possui superfície plana, é ultrafino e totalmente adaptável.

Apesar de ser um dispositivo básico, o protótipo é um conceito de olho artificial controlado eletronicamente.

A novidade promete revolucionar a óptica, isso porque a metalente consegue controlar de forma eletrônica e em tempo real o foco, o astigmatismo e mudança de imagem. Essas são as principais causas dos problemas de visão. As lentes convencionais só funcionam dessa forma quando se se empilha múltiplas lentes e por conta disso, as lentes de câmeras, microscópios e telescópios ficam sempre enormes.

"Esta pesquisa combina avanços na tecnologia dos músculos artificiais com a tecnologia de metalentes para criar uma metalente ajustável que pode mudar seu foco em tempo real, assim como o olho humano," disse o líder da pesquisa Alan She.

A metalente possui apenas 30 micrômetros de espessura e consegue ajustar zoom óptico, foco automático e estabilização de imagem. Essa tecnologia permite que as lentes pesadas utilizadas em óculos, câmeras de celulares e outros dispositivos sejam substituídas pela metalente bem mais fina e mais leve.

Até então, nenhuma metalente conseguia lidar com a combinação de todas as cores do espectro. Mas o novo dispositivo de amplo espectro utiliza matrizes de nanoestruturas de dióxido de titânio para focar igualmente os comprimentos de onda da luz e eliminar a aberração cromática.

"Fomos um passo além rumo ao desenvolvimento da capacidade de corrigir dinamicamente aberrações como o astigmatismo e o deslocamento da imagem, que o olho humano não consegue fazer naturalmente," contou o pesquisador.

Metalente simula a lente do olho humano

Nosso olho possui uma lente biconvexa (o cristalino), que se localiza na região anterior ao globo ocular. A retina fica no fundo desse globo e serve para proteger as imagens. Ela capta e projeta as sensações luminosas e são enviadas para cérebro através do nervo óptico.

Nossa lente é rodeada pelo músculo ciliar que pode esticar ou comprimir a lente e assim possibilita que enxergamos de várias distancias. Para simular essa função, os cientistas aderiram a metalente a um músculo artificial.

O próximo passo dos pesquisadores vai ser melhorar ainda mais a funcionalidade da lente para que ela seja utilizada em funções como realidade virtual e realidade aumentada.