Voltar

Empresas adotam políticas de flexibilidade visando mais qualidade de vida para colaboradores

Em Uberlândia, o Grupo Algar lançou no ano passado o projeto Talento Flex.

26 de fevereiro de 2019 / Por: Redação

Trabalhar em empresa flexível, essa é uma das prioridades não só de profissionais que estão no mercado de trabalho, mas também de toda uma geração que precisa se desdobrar entre as atividades da vida profissional e pessoal.

A flexibilização está ocorrendo tanto em relação ao horário de trabalho quanto na autonomia dos colaboradores. De acordo com o especialista em felicidade no trabalho, Alexandre Teixeira, a tendência hoje em dia é focar em resultados, a chamada Rowe (Results Only Work Environment, em inglês). Isso quer dizer que a empresa deixa de se preocupar com o horário e local de trabalho dos funcionários e passa a cobrar somente resultados.

“As pessoas querem fazer suas próprias agendas, não querem ir para o trabalho todos os dias, enfrentar trânsito das metrópoles, ainda mais se podem realizar o mesmo trabalho de casa. Estudos têm comprovado que o home office aumenta a produtividade em mais de 10%”, explica Teixeira, disse o especialista.

O sócio da Search RH, afirma que a flexibilização de horários diminui a rotatividade dos colaboradores. “A gestão do tempo para o funcionário é algo muito positivo. Poder levar os filhos na escola, evitar sair em um horário de maior trânsito, ou mesmo poder cuidar de assuntos pessoais aumenta a qualidade de vida e a satisfação com o trabalho. Dar mais autonomia é uma forte ferramenta de retenção”.

Em Uberlândia, o Grupo Algar lançou no ano passado o projeto Talento Flex. A política tem como objetivo ajudar os colaboradores a equilibrarem vários papeis no dia a dia. As diretrizes estabelecidas, que valem para colaboradores de todas as empresas do Grupo, visam melhorar a produtividade e promover a qualidade de vida. As práticas incluem jornada intermitente ou redução da jornada e reforçam a aplicação do horário de trabalho flexível e o home office, incentivando a relação de confiança e a liberdade com responsabilidade.

Outra possibilidade para os associados - como são chamados os colaboradores do Grupo – que se encaixam nesse perfil é a redução da jornada, conforme legislação vigente. “Com o Talento Flex nós investimos em qualidade de vida, que certamente vai se reverter em produtividade, e também incentivamos a mudança de mindset para uma gestão voltada para resultados, com menos controle e mais entregas”, enfatizou Eliane Garcia Melgaço, vice-presidente de Gente do grupo Algar.

Flexibilidade nas empresas aumenta a produtividade

A diretora de vendas da Regus no Brasil, Janaína Nascimento afirma que o trabalho flexível virou a regra vigente no mercado e essa é uma excelente notícia para todos. “Do empregado ao empregador, das famílias desses funcionários até a sua comunidade, e até mesmo para o meio ambiente, todos se beneficiam com essa tendência", disse.

Segundo pesquisa, metade das empresas que oferecem condições flexíveis de trabalho relatou que suas equipes têm um equilíbrio mais saudável entre vida particular e trabalho, o que as deixa mais satisfeitas e motivadas, o que leva um aumento na produtividade. No entanto, muitas ainda se sentem inseguras em ter um modelo flexível e a maior parte que oferece o benefício, adota somente para os colaboradores seniors ou da área de gestão. "Ao adotar a hierarquia como critério para o direito a condições flexíveis de trabalho, algumas empresas estão perdendo enormes oportunidades e podem até mesmo inibir novos talentos com grande potencial que poderiam atrair não fosse o benefício exclusivo aos funcionários em nível sênior", finalizou Janaina Nascimento.