Voltar

Como os projetos sociais transformam a vida das pessoas

Conheça a história da jovem aprendiz Gabriela Martins

06 de março de 2019 / Por: Redação

A má qualidade em muitas escolas do ensino público e a vulnerabilidade à violência, drogas e outros caminhos relacionados a marginalização social é uma das maiores preocupações relacionadas aos jovens de periferia. Nesse sentido, os projetos sociais de muitas empresas e ONGs desenvolvem um papel fundamental nessa parcela excluída da população em várias cidades do Brasil. 

Muitas iniciativas estão transformando a vida de muita gente. Para muitas empresas, além de contribuir com um mundo melhor, essa é uma forma de devolver o que recebem da sociedade.

O grupo Algar é uma empresa que tem o compromisso de servir. Esse é um dos motivos que faz com que a empresa invista em programas sociais desde 1994. O objetivo é contribuir para a melhoria da qualidade da educação brasileira. Em 2002, a empresa criou o Instituto Algar, órgão responsável por coordenar e dar as diretrizes de todas as ações educacionais e culturais do Grupo.

Destaque para o projeto Transforma, que desenvolve oficinas com crianças e adolescentes nas esferas de Cultura e Artes, Cultura Digital e Formação Profissional, além de atividades com voluntários do Grupo Algar. O objetivo é promover o desenvolvimento de crianças e adolescentes por meio da educação e da cultura, com oficinas no contra turno escolar.

São beneficiados alunos de escolas públicas de ensino fundamental e médio do setor leste de Uberlândia (MG), onde observa-se baixo aparelhamento social e cultural, além de ser uma comunidade com baixa escolaridade e acesso a espaços e ações culturais na cidade.

Gabriela Martins entrou no Projeto Transforma aos 8 anos

Uma das vidas transformadas por esse projeto foi a da jovem aprendiz, Gabriela Martins. Ela conheceu o projeto em 2009, na época tinha 8 anos. A jovem contou que sempre foi uma criança muito agitada, falante e desinibida, porém, tinha grande dificuldade em demonstrar o que sentia e quando não conseguia acabava agindo de forma negativa. “Com o passar do tempo, as oficinas me ensinaram a trabalhar em equipe, um grande desafio pra mim, que na época era muito mandona e autoritária. Aos poucos fui aprendendo a aceitar outras ideias, e não chorar quando as coisas não saiam como planejado. Aprendi a gerenciar as frustrações e dar sempre o melhor de mim em qualquer situação, inclusive cobrir as falhas dos colegas em cima do palco ao invés de julgar”, disse

A estudante contou ainda que já enfrentou problemas complicados na vida e o Transforma foi essencial para superar cada um deles. “Era minha fuga emocional, e ainda bem que foi uma fuga positiva. Não sei onde eu estaria sem o Transforma agora”, afirmou.

A jovem conquistou seu primeiro trabalho por meio do programa, conseguiu passar em uma entrevista e se tornou a primeira jovem aprendiz do programa. Hoje, aos 18 anos, ela trabalha no Instituo Algar como jovem aprendiz fazendo a diferença na vida de outros jovens e crianças. Para quem está iniciando agora no projeto, Gabriela faz questão de deixar um recado: “Aproveitem, encarem tudo com leveza, absorvam ao máximo das pessoas que estão ao seu redor, são pessoas ricas de conhecimento de almas iluminadas, aproveite as aulas, de ideias, se engaje! Não se culpe quando errar, os erros nos fortalecem e nos transformam”, finalizou.

Clique e assista ao depoimento da Gabriela