Institucional

O Grupo Algar traz impressa em seus alicerces a marca da personalidade de Alexandrino Garcia. Português de origem humilde, era um empreendedor nato, corajoso desbravador e dono de um talento natural para os negócios. Nascido no dia 3 de abril de 1907, na Aldeia Lapa do Lobo, em Portugal, começou a trabalhar ainda menino, ajudando os pais na lavoura. A família veio para o Brasil em 1919. Aqui, Alexandrino foi servente de pedreiro, ferreiro, mecânico, e motorista do caminhão de fretes comprado pelo pai, José Alves Garcia. Aos 17 anos, já trabalhava em máquinas de arroz. Casou-se em 1929 com dona Maria Silva. Seu primeiro negócio foi uma cerealista, como sócio de seu pai e depois dos irmãos. Desde então, apesar de dono da empresa, acostumou-se a deixar sua marca em todos os setores, com uma capacidade de trabalho e uma tenacidade extraordinárias.

Em 1941, alugou um posto de combustíveis que, em 1944, foi ampliado, tornando-se revendedora da General Motors. Em 1950, abriu outra empresa no mesmo ramo, a Garinco. Entre 1953 e 1955, presidiu a ACIUB - Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Uberlândia. Foi nessa época que ele liderou a constituição da sociedade anônima que assumiria o controle da Empresa Telefônica Teixeirinha, que, em 1954, tornou-se a CTBC (Companhia de telefones do Brasil Central). A nova empresa expandiu-se rapidamente e consolidou-se em dezenas de cidades do Brasil Central. Sempre com a marca da inovação e do pioneirismo, sob o comando de Alexandrino, que iniciava assim sua atividade empresarial na área de telecomunicações, que marcou definitivamente sua trajetória e a do grupo que criou. A partir da década de 60, sempre com a colaboração de seus filhos Walter Garcia (já falecido) e Luiz Alberto Garcia, agregou dezenas de empresas e constituiu um grupo empresarial de atuação nacional. Alexandrino permaneceu à frente dos negócios até 1987, quando teve de afastar-se por problema de saúde. Ele faleceu no dia 24 de outubro de 1993. Alexandrino, muito mais do que uma organização empresarial, deixou como legado suas crenças e valores, sua determinação e pioneirismo, sua vontade de servir e ensinar, sua fé inabalável no futuro do Brasil e a certeza de que nada impede o crescimento que nasce da força do trabalho bem intencionado.